Em clima esportivo, romântico ou sensual, grifes criam peças para vestir em casa

Grifes como Carolina Etz, Ayla e Trousseau apostam no estilo

RIO – Roupas para o doce prazer de não fazer nada. Ou para dormir, namorar e até receber amigos no conforto do lar. Muitas podem ser as definições de homewear, segmento que ganha atenção especial nestes dias mais frescos. Novidade no mercado carioca, a Ayla, criada pela jovem Maria Antonia Chady, de 20 anos, está dando o que falar com suas chemises — vestidas pela modelo Daniella Sarahyba, amiga e cliente, em ensaio publicado no Instagram da marca.

— A Ayla surgiu por necessidade própria: queria roupas legais para viajar com o meu namorado e não achava nada que gostasse — conta Maria Antonia. — Agora dá vontade de usar os pijaminhas até fora de casa.

O “problema” de algumas peças de homewear é a vontade de sair por aí desfilando com elas, vide a coleção recém-lançada pela Trousseau, com pegada esportiva, estrelada pelas gêmeas Bia e Branca Feres. O mesmo pode acontecer com os sleeping dresses e as calças de amarrar da Nuit Nuit, que havia encerrado as atividades em 2009 e foi resgatada pela Ateen em forma de coleção cápsula.

Por sua vez, a marca de lingerie Carolina Etz está fazendo uma linha de camisolas para lá de românticas em parceria com a estilista Maria Mendes, queridinha das noivas. Outra marca-xodó das cariocas descoladas, a Três lança mês que vem a sua primeira coleção de pijamas, bem sensuais.

— Desenhei peças que não são feitas para serem escondidas. É uma linha de homewear para ser mostrada — ressalta a estilista Fernanda Bion.

Fonte: https://oglobo.globo.com/ela/moda/em-clima-esportivo-romantico-ou-sensual-grifes-criam-pecas-para-vestir-em-casa-21619554